Igreja e Sociedade



ID: 2797

Projeto de Apoio aos Imigrantes auxilia em formação para haitianos

A turma de 18 imigrantes concluiu o curso para garçons com 20 horas

19/02/2018

Os imigrantes se formaram no Curso de Técnicas Básicas do Serviço de Garçom do Senac
Os imigrantes se formaram no Curso de Técnicas Básicas do Serviço de Garçom do Senac
Os imigrantes se formaram no Curso de Técnicas Básicas do Serviço de Garçom do Senac
Grupo de Gestão do Projeto de Apoio recebe placa honrosa
Formados em prática
Formados em prática
Formados em prática
1 | 1
Ampliar

As conquistas marcaram a noite de segunda-feira (19) no Centro Comunitário Evangélico. A turma de 18 imigrantes, além de dois membros da Comunidade recebeu o certificado do Curso do Senac de Técnicas Básicas do Serviço de Garçom, que ocorreu em seis etapas, com o total de 20 horas. A parceria foi entre o Senac e o Projeto de Apoio à Integração de Imigrantes no Vale do Taquari, proposto pelo Grupo de Diaconia da Comunidade Evangélica de Confissão Luterana em Lajeado (IECLB). O Projeto investiu no curso, na topic que buscava e levava os alunos, além do jantar realizado na noite formatura, feito pela também formada Petra Krüger e servido pelos formados. O Senac foi parceiro e auxiliou na adaptação do curso básico.

Em dois anos de Projeto foram realizadas diversas ações para auxiliar os imigrantes do município. Segundo o vice-pastor sinodal e pastor coordenador ministerial de Lajeado, Luis Henrique Sievers, esse curso rápido abrirá portas para eles e mesmo que muitos já tenham um trabalho, poderão aproveitar para fazer um extra a noite ou nos finais de semana. “Para a grande maioria esse é o primeiro curso com um certificado que recebem no Brasil. Pode ser que queiram se especializar no ramo. Eles se integraram muito e após receberem o certificado ainda serviram a janta. Uma das gratas satisfações que tivemos é que sempre encontramos parceiros e entidades nessa caminhada”, diz o pastor que cita a Univates, o Sesc, Senac e pessoas que dispuseram tempo e trabalho voluntário. “É uma alegria para nós. Isso nos dá esperança que não vamos fazer nada sozinhos e sim juntar forças. Alguns imigrantes estão querendo até fazer curso de gastronomia. Espero que queiram sempre buscar e se especializar ainda mais”, diz.

A presidente da Comunidade Evangélica de Lajeado Renate Schreiner acredita que o curso será muito importante para os imigrantes. “Ficamos muito gratos de conseguir essa parceria com o Senac. Estive participando das negociações com haitianos e de início não estavam tão entusiasmados. Expliquei que seria um extra e foi então que foram se motivando a fazer. Percebi o quanto aprenderam e se divertiram”, conta a presidente ao afirmar que agora é preciso estimular que os estabelecimentos ou pessoas os contratem.

Senac parceiro

A diretora do Senac Lajeado Etiene Azambuja destaca que ficaram felizes quando a Comunidade Evangélica de Lajeado os procurou para fechar parceria no Projeto. “Na época tínhamos algumas vagas em aberto de um programa gratuito do Senac para a formação de garçons e a Comunidade se empenhou em incluir o grupo, mas devido a alguns pré-requisitos na documentação não deu certo”, conta. O Senac então pensou em uma reformulação do curso para uma menor carga horária e resumo dos conteúdos. “Adequamos com a realidade deles para trabalhar técnica vinculada com a questão cultural para após terem uma inserção no mercado. Agora ficaremos na torcida para que consigam espaço e possam se inserir, afinal o mercado sempre terá um papel importante na integração e fará com que se sintam parte da nossa comunidade, além de serem produtivos”, conta Etiene ao contar que o curso foi viabilizado com recursos do Projeto e o Senac fez o valor render para agregar conhecimento aos imigrantes.

O instrutor do curso Cristiano Miorando conta que no início tiveram mais dificuldades com a língua, por isso decidiram a partir do segundo encontro começar as aulas práticas. “Então já viemos para o Centro Comunitário e na terceira aula começaram a entender tudo o que queríamos. Eles são muito legais e animados. Foi uma experiência bacana e um grande aprendizado. Eu não conhecia a cultura, trocamos várias ideias e aprendi muito com eles também”.

Com o certificado na mão

Sorriso no rosto e certificado de conclusão do curso nas mãos. O representante dos haitianos Renel Simon também se formou na noite de segunda. Ele confessa que sempre pensavam em realizar algumas formações profissionais e que o curso para garçons é muito requisitado no mercado. “Tem muitas festas, casamentos e formaturas e estamos aprendendo. Poderão fazer um dinheiro extra e após um curso mais avançado. Foi fantástico esse que finalizamos, todos gostaram”, destaca. Para Simon o Projeto de Apoio à Integração de Imigrantes no Vale do Taquari tem sido muito importante e tem feito com que a comunidade se aproxime e aprenda mais da vida dos imigrantes. “Agradecemos muito a Comunidade Evangélica de Lajeado e o Grupo de Diaconia. Todos nos valorizam e tem nos ajudado muito”, diz.

Mirlaine Bien Aimé Lexis também se formou no curso e mesmo empregada no mercado de trabalho, buscará conseguir algum extra a partir de sua formação. “Gostei de tudo no curso, foi muito importante e de grande aprendizado”.

O Projeto de Apoio à Integração de Imigrantes

Durante os últimos dois anos de Projeto foram realizadas diversas ações e eventos, entre eles um grande Seminário sobre o Processo Migratório no Brasil e no mundo que contou com a presença de mais de 200 imigrantes. A OASE Priscila, através do seu Brechó, ajudou os imigrantes para que as casas tivessem cama, mesa, cadeiras, geladeira, fogão e roupas para vestir. “Muitos não tem acesso a crédito e a maioria recebe um salário mínimo, então o Brechó auxiliou muito”, diz o pastor Luis.

Também foi produzido um documentário sobre as dificuldades que enfrentaram, desde a saída do Haiti até a chegada ao Brasil, perseguindo o sonho de encontrar emprego e vida digna. Está sendo elaborado outro vídeo com depoimentos que falam sobre as alegrias de estarem na região e a integração com a comunidade local. A Associação de Haitianos, Imigrantes e Descendentes no Brasil (ASSHIDEB) está sendo fundada. Além disso o Colégio Evangélico Alberto Torres (CEAT) fez a doação de cadeiras para as crianças que participam da escola dominical.

O Grupo da Diaconia da Comunidade Evangélica de Lajeado agradece pelos passos dados e por todo apoio e parceria.

Imagem: formandos ou formandos1 ou formandos2
Legenda: Os imigrantes se formaram no Curso de Técnicas Básicas do Serviço de Garçom do Senac, na noite dessa segunda-feira, dia 19
Crédito: Renata Leal

Imagem: placa-honrosa
Legenda: O Grupo de Gestão do Projeto de Apoio à Integração de Imigrantes no Vale do Taquari recebeu dos formandos em agradecimento uma placa honrosa
Crédito: Renata Leal

Imagem: pratica ou pratica1 ou pratica2
Legenda: Após a cerimônia, os formados ficaram responsáveis por servir a janta com prato de entrada, jantar e sobremesa, além das bebidas
Crédito: Renata Leal
 


AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

A palavra 'orai' nada mais significa do que 'pedi, clamai, buscai, batei, fazei barulho!' É preciso que assim façamos a cada momento, sem cessar.
Martim Lutero
REDE DE RECURSOS
+
Felizes aqueles que ajudam os pobres, pois o Senhor Deus os ajudará quando estiverem em dificuldade!
Salmo 41.1
© Copyright 2018 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br