Música na IECLB


Ospa dedica Concerto aos 500 anos da Reforma

31/10/2017

Ospa dedica Concerto aos 500 anos da Reforma
Ospa dedica Concerto aos 500 anos da Reforma
Ospa dedica Concerto aos 500 anos da Reforma
Ospa dedica Concerto aos 500 anos da Reforma
Ospa dedica Concerto aos 500 anos da Reforma
Ospa dedica Concerto aos 500 anos da Reforma
Ospa dedica Concerto aos 500 anos da Reforma
Ospa dedica Concerto aos 500 anos da Reforma
Ospa dedica Concerto aos 500 anos da Reforma
Ospa dedica Concerto aos 500 anos da Reforma
Ospa dedica Concerto aos 500 anos da Reforma
Ospa dedica Concerto aos 500 anos da Reforma
Ospa dedica Concerto aos 500 anos da Reforma
Ospa dedica Concerto aos 500 anos da Reforma
Ospa dedica Concerto aos 500 anos da Reforma
1 | 1
Ampliar

No dia 31 de outubro de 1517, Lutero subiu os degraus da Igreja do Castelo de Wittenberg, na Alemanha, e pregou na porta do templo as 95 Teses que desencadeariam a Reforma. As comemorações aos 500 anos desse marco histórico ocorreram em diversas partes do mundo. Na capital gaúcha, a Orquestra Sinfônica de Porto Alegre (Ospa) apresentou um Concerto especial no Salão de Atos da Universidade Federal do Rio Grande dos Sul (Ufrgs), exatamente no dia 31 de outubro.

O Maestro Manfredo Schmiedt conduziu a interpretação da “Sinfonia nº 2” (Lobgesang), conhecida como Sinfonia Cantata ou Cântico de Louvor, de Felix Mendelssohn (1809-1847), um dos maiores compositores românticos alemães, obra que faz referência ao legado de Lutero.

A Sinfonia foi composta entre 1838 e 1840 para festejar os quatro séculos da invenção da imprensa por Gutenberg. A técnica de impressão de livros com tipos móveis permitiu a primeira impressão da Bíblia traduzida para a Língua Alemã, fundamental para a Reforma.

Na peça, três vozes Solistas e um Coro entoam palavras das Escrituras Sagradas. Mais de 120 Cantores, entre o Coro Sinfônico da Ospa, o Coro Universitário da Ulbra e o Grupo Cantabile se apresentaram com a Ospa, junto dos Solistas Elisa Machado (soprano), Paola Leonetti (soprano) e Maicon Cassânego (tenor).

Antes do início da exibição, Zenar Eckert, Presidente da Comissão das Festividades dos 500 anos da Reforma Luterana, proferiu algumas palavras sobre os festejos para o público.

Diversas autoridades compareceram ao evento, entre elas o Pastor Presidente da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), P. Dr. Nestor Friedrich. A plateia estava lotada – mais de 1000 pessoas assistiram ao Concerto.
 

Sobre o programa
Considerado um artista prodígio, Mendelssohn foi Compositor, Pianista, Organista, Regente e Pintor. Começou seus estudos musicais aos sete anos de idade. Aos nove, teria realizado as primeiras apresentações e, aos treze, escrito e publicado as suas primeiras obras.

A Sinfonia n.º 2 teve sua estreia em 1840 na Igreja São Tomás, em Leipzig. Na obra, Mendelssohn fundiu elementos da música secular e da música sacra, conservando características da Sinfonia e da Cantata.

A peça foi composta entre 1838 e 1840 para festejar quatro séculos da invenção da imprensa por Gutenberg. Por volta de 1440, Gutenberg tinha desenvolvido a técnica de impressão de livros com tipos móveis e, de sua produção, destaca-se a primeira impressão da Bíblia traduzida para o Alemão, que foi fundamental para a Reforma. Dentre os vários textos bíblicos selecionados por Mendelssohn, na produção desta Cantata-Sinfônica, o Salmo 150 é o mais emblemático, pois aparece em diversos pontos da obra, afirma o Maestro Manfredo Schmiedt.

O Compositor germânico inspirou-se na 9º Sinfonia de Beethoven, uma obra igualmente monumental, para escrever a peça. Manfredo conta que a obra é dividida em duas partes: A primeira parte, composta somente para a Orquestra Sinfônica, prepara o ouvinte para a imponência musical da segunda parte, com a participação dos Coros e Solistas. A utilização das diversas 'forças' vocais e orquestrais, solos, duetos, coros polifônicos e homofônicos são muito bem arquitetados por Mendelssohn para que o texto bíblico possa ser expresso da melhor maneira possível.


Manfredo Schmiedt (Brasil | regente)
É Regente e Diretor Artístico da Orquestra Sinfônica da Universidade de Caxias do Sul (OSUCS) e Regente do Coro Sinfônico da Ospa. Mestre em Regência pela Universidade da Geórgia (EUA), participou de cursos de regência na Alemanha, Holanda, Argentina, Estados Unidos e Brasil e recebeu as condecorações Pi Kappa Lambda Music Honor Society e Director’s Excellence Award. Foi Regente assistente do Maestro Isaac Karabtchevsky na Ospa.

Elisa Machado (Brasil | soprano)
É Bacharel em Música pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Iniciou seus estudos de canto com o Professor Decápolis de Andrade, no Coro da Ospa. Concluiu os cursos básico de trompete e avançado de canto no Conservatório Pablo Komlós, em Porto Alegre. Teve também como Orientadores Laura de Souza, Carlos Rodriguez e, mais recentemente, Juremir Vieira. Participou de oficinas e cursos como complemento e aperfeiçoamento. Atua na preparação de Coros (Allegro, Unisinos e Ospa), paralelamente à carreira de cantora. Em 2014, recebeu o 1º Prêmio no 12º Concurso Brasileiro de Canto Maria Callas e foi aprovada em concurso realizado pela Ospa (para trabalhar junto ao Coro Sinfônico). Em 2006 e 2016, foi Professora Substituta de Canto na UFRGS.

Paola Leonetti (Brasil | soprano)
Soprano lírico brasileira, realizou seus estudos musicais no Conservatório Pablo Komlós em Porto Alegre sob orientação de Decápolis de Andrade. Estreou como solista com a Ospa aos 20 anos em concerto lírico de Rigoletto e La Traviata sob regência de Túlio Belardi. No ano seguinte, participou da montagem de Madama Butterfly com a mesma Orquestra, sob a regência de Ion Bressan. Aperfeiçoou-se com grandes nomes do cenário erudito tais como Carlo Colombara, Miguel Patron Marchand, Luis Sigal, José Oliveira Lopes, Gisa Volkmann, Carlos Rodrigues, Alessandro Sangiorgi, Flávio Leite, Massimiliano Carraro, Raffaella Ambrosino, entre outros. Atualmente, vem se apresentando em Concertos com a Orquestra Unisinos-Anchieta, Orquestra de Câmara do Theatro São Pedro, Ospa, Orquestra de Câmara da Ulbra, entre outras.

Maicon Cassânego (Brasil | tenor)
Nascido em Caxias do Sul, Maicon Cassânego iniciou seus estudos de canto com a professora Marilene Carneiro, aos 17 anos de idade. Por diversos anos, participou do Coro de Câmara Cant'Arte, sob a regência da maestrina Anita Campagnolo. Em 2012, ingressou no bacharelado em canto, na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Como solista, esteve nas apresentações das Vesperae Solennes de Confessore, de Mozart, com o Coro do Colégio Visconde de Porto Seguro, sob a regência do maestro Sérgio Assumpção.  

Fontes: site da Ospa e site da Ufrgs
Fotos: Raquel Padão Laks (Ospa)


AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

Assim como o Senhor perdoou vocês, perdoem uns aos outros.
Colossenses 3.13
REDE DE RECURSOS
+
Que cada um dê a sua oferta conforme resolveu no seu coração.
2Coríntios 9.7
© Copyright 2017 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br