Educação Cristã Contínua



ID: 2661

Temas da Educação Cristã Contínua

1 | 1
Ampliar

O Plano de Educação Cristã Contínua da IECLB (PECC) apresenta temas de estudo ou áreas temáticas que servem de base para a educação cristã. Esses temas podem e devem ser estudados em todas as fases da vida, a fim de se promover a educação contínua na fé cristã. Outros temas podem ser incluídos, desde que não se sobreponham a esses.

BÍBLIA

A Bíblia encontra-se entre os fundamentos da fé cristã. Ela é a palavra de Deus. Através dela, Deus fala, manifesta sua vontade e convida pessoas a uma decisão. Sua intenção não é apenas informar, mas, sobretudo, despertar e sustentar a fé, a esperança e o amor. Educação cristã contínua pressupõe, portanto, formação bíblica e só pode ser imaginada com ela. Dentre os critérios ou subtemas desta área temática destacam-se os seguintes:

a) O conhecimento bíblico
A Bíblia é uma verdadeira biblioteca, ou seja, um livro com uma quantidade extraordinária de conteúdos. Muitos deles, além de estarem na base de nossa fé, estão também na base de nossa cultura, de nossos princípios e de nossas tradições. Nossas comunidades devem ser auxiliadas a ampliar o seu conhecimento bíblico.

b) A formação da Bíblia
A Bíblia não é um livro que caiu do céu. Ela possui uma história de formação que vem sendo pesquisada ao longo dos anos. Quem sabe como surgiram os livros da Bíblia e como se formou o Antigo e o Novo Testamento possui uma ferramenta preciosa em suas mãos para tornar a Bíblia um livro mais familiar e mais próximo de sua realidade.

c) O contexto da Bíblia
Algumas partes da Bíblia foram redigidas há três mil anos atrás, e as partes mais recentes, há quase dois mil anos. Não apenas o contexto histórico da Bíblia é diferente do nosso, mas também o seu contexto geográfico, cultural, econômico e religioso. Mesmo que a Bíblia contenha uma mensagem universal e para todos os tempos, é preciso conhecer o contexto em que ela se formou, para entender o impacto de seus textos para nossa realidade.

d) Métodos de interpretação da Bíblia
Algumas pessoas interpretam a Bíblia exatamente como está escrito, sem olhar para o contexto. Outras ainda a interpretam a partir de um enfoque ou realidade específica ou a partir de seus próprios interesses. Por isso, é necessário oferecer e exercitar métodos de interpretação bíblica, para que as pessoas aprendam a colocar a Bíblia e a realidade em diálogo constante, num contexto comunitário, celebrativo e de oração.

CONFESSIONALIDADE LUTERANA

A IECLB é herdeira do movimento de Reforma da Igreja do século XVI. Junto com outras igrejas de confissão evangélico-luterana, tem critérios que marcam sua confessionalidade e que são determinantes para a educação cristã. Destacam-se os seguintes critérios ou subtemas:

a) Salvação somente por graça, mediante a fé
Em Cristo, Deus mesmo nos torna pessoas justas e nos dá a salvação. Deus nos reconcilia consigo não pelo mérito de nossas obras, mas por graça. É pela fé na ação de Cristo em nosso favor que podemos alcançar a paz. Da fé na salvação, que não depende de nossas obras, brota a alegria e a gratidão, que se manifestam nas atitudes em favor do próximo.

b) Liberdade cristã
Como pessoas livres, podemos cooperar para transformar este mundo. Educação cristã na fé acentua o duplo sentido da liberdade cristã: a fé nos faz livres de termos de construir a própria salvação, pois confiamos na salvação que vem de Deus. E a fé nos faz livres para agir em favor da vida em abundância para toda a criação.

c) Existência sob a cruz
Essa existência nos aproxima de um Deus que é amor e misericórdia. Viver como discípulo e discípula é perceber a presença e a proximidade de Deus onde ele parece estar ausente. É entender que não somos nós que encontramos Deus, mas que é ele que nos encontra em nossa solidão e desespero.

d) Somos pessoas justas e pecadoras
No batismo, fomos marcados e marcadas com o sinal que liberta do pecado e da culpa. Porém, ainda vivemos sob a influência do mal que reina neste mundo. Paulo expressou esta realidade assim: “Não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço” (Rm 7.19).

e) Sacerdócio Geral de todas as pessoas que creem
As pessoas precisam de orientação fundamentada no Evangelho para suas buscas pelo sentido da vida. Isso, por sua vez, não resulta em fé individualista, mas conduz a algo fundamental na IECLB: o sacerdócio geral de todas as pessoas que creem. Todos os membros do corpo de Cristo devem poder ler e interpretar a Bíblia e saber testemunhar a esperança que tem (1Pe 3.15).

MISSÃO

A igreja prioriza a educação cristã, capacitando as pessoas para cooperar na missão de Deus no mundo e para exercer plenamente o sacerdócio geral. A educação cristã acontece em função da missão e, ao mesmo tempo, a missão é objeto de estudo da educação cristã. Conforme o Plano de Ação Missionária da IECLB (PAMI), a evangelização, a comunhão, a diaconia e a liturgia são as quatro dimensões da missão. No PECC, elas são apontadas como conteúdos de estudo ou subtemas da educação cristã:

a) Evangelização
A evangelização concentra-se na exposição explícita e intencional do Evangelho, visando a uma resposta pessoal de fé e ao ingresso no discipulado cristão vivido em comunidade. O objetivo maior da evangelização é que o ser humano deixe-se cativar pelo Deus que cria, reconcilia e salva.

Por realizar majoritariamente o batismo de crianças, o compromisso de evangelizar as pessoas batizadas é ainda maior, pois quem foi despertado para a fé deve receber instrução confiável e prática sobre como viver a fé no dia-a-dia. A Igreja precisa ocupar-se com o ensino das formas elementares da espiritualidade cristã: a prática da oração e da leitura e meditação da Bíblia.

b) Comunhão
A igreja que brota da ação missionária e redentora de Deus tem a comunhão na sua essência. O jeito de ser da comunidade (acolher, integrar, incluir, valorizar, cuidar) tem um grande impacto missionário. A comunidade voltada para o objetivo de vivenciar a comunhão está disposta a refletir sobre como se estabelece a interação entre as pessoas, como são tomadas as decisões, como é oportunizada a participação dos membros.

c) Diaconia
Em Jesus Cristo, Deus veio ao mundo e serviu às pessoas, principalmente àquelas em situação de maior fragilidade. Com isso, Deus nos mostrou um jeito de ser e de viver nossa fé baseado no amor e no serviço ao próximo. Por isso, educar as pessoas na fé cristã é também educá-las para a diaconia.

d) Liturgia
Liturgia é o jeito como realizamos nosso culto. Conhecer as partes da liturgia, sua história, sua razão de ser e seu conteúdo ajuda a fortalecer a identidade e a dar sentido ao ato de celebrar. Dentre os conteúdos que compõem a dimensão da liturgia, destacam-se: as partes da liturgia, vestes, símbolos e gestos na liturgia, o calendário litúrgico e as cores litúrgicas, a Ceia do Senhor, o lugar litúrgico.

CONTEXTO

O conteúdo da proclamação do Evangelho é o mesmo em todos os tempos e lugares. No entanto, esse conteúdo precisa ser atualizado para o contexto no qual as pessoas vivem. A Igreja deve ocupar-se com os temas que fazem parte da vida das pessoas e da comunidade. Por contexto entende-se a realidade na qual as pessoas estão inseridas, possuindo várias dimensões: social, política, econômica, religiosa e cultural:

a) Contexto social, econômico e político
A mensagem da Igreja perdeu forças na orientação da sociedade em seus traços fundamentais. O modelo econômico determina em grande parte as relações sociais, contribuindo para a desigualdade que gera uma multidão de subempregados e empobrecidos. O poder político, aliado ao poder econômico, numa associação perversa, resulta num quadro de corrupção crônica e generalizada. Compreender como a sociedade funciona, se organiza, e quais as relações de poder que se estabelecem ajuda a identificar o contexto de atuação missionária.

b) Contexto cultural
O Evangelho não se confunde com a cultura, mas esta é a condição necessária para a sua encarnação. Por isso, é preciso compreender a cultura para manter a fidelidade à dinâmica da encarnação da Palavra de Deus.

A sociedade pós-moderna tem traços culturais peculiares. A diversidade cultural é cada vez mais explícita no mundo globalizado. No entanto, o gênero, a raça, a etnia, a religião, a orientação sexual e até mesmo a língua têm sido usadas como base para excluir pessoas. A ausência de limites, o consumismo exagerado, a busca do prazer a qualquer preço e a supervalorização da estética em detrimento da ética são outros elementos que caracterizam a cultura pós-moderna.

Essa sociedade multicultural exige da fé cristã um constante exercício de amor e tolerância frente à diversidade. E, por outro lado, pede um profundo compromisso com o Evangelho encarnado, que se contrapõe a todas as situações que oprimem e tolhem a liberdade das pessoas.

c) Contexto eclesial e religioso
A lógica do mercado também está presente no contexto religioso. Se em tempos idos as instituições religiosas faziam os indivíduos dobrarem os joelhos, na sociedade contemporânea, marcada fortemente pelo individualismo, as instituições religiosas vêm sendo forçadas a se dobrarem diante de necessidades dos indivíduos. É crescente a busca por experiências religiosas que fogem da mensagem de um Deus crucificado. Estas experiências prendem-se ao aqui e agora e desconsideram a esperança cristã.

Essa lógica apropriada pela religião afeta as igrejas tradicionais. Por isso, a IECLB precisa articular e traduzir a reflexão teológica para dentro da realidade encarnada.

Fonte: Plano de Educação Contínua - PECC
 


AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

Nós não anunciamos a nós mesmos. Nós anunciamos Jesus Cristo como o Senhor.
2Coríntios 4.5
REDE DE RECURSOS
+
Quem conhece Deus também conhece as criaturas, as compreende e as ama, pois, nas criaturas, estão as pegadas da divindade.
Martim Lutero
© Copyright 2017 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br