Culto e Liturgia

Culto - modelo litúrgico

Tema
Deus é fiel no cumprimento de suas promessas.

Ensaio
Hinos e cânticos litúrgicos desconhecidos aqui sugeridos precisam ser ensaiados antes do culto, de preferência nos encontros dos grupos da comunidade.

Informações técnicas
Caso haja necessidade, a comunidade deveria ouvir neste instante alguma informação técnica ou alguma explicação sobre questões específicas que necessitem de esclarecimento. Essas informações e explicações jamais deveriam ser dadas durante o culto.

LITURGIA DE ENTRADA
Chegada

Oração silenciosa individual
Feita por cada pessoa que vem para o culto. A formulação que segue é uma sugestão.

Deus eterno, tu nos chamaste para sermos membros de um só corpo. Quero ser parte deste corpo. Por isso, concede- me, na companhia de irmãs e irmãos em Cristo, a graça de ouvir tua Palavra e de receber-te no sacramento da Ceia. Amém.

Sino

Prelúdio

Acolhida
L fica em pé, atrás da estante de leitura. Para o momento da Acolhida,
L também poderia posicionar-se num espaço informal, na frente da mesa da comunhão, bem próximo da comunidade.

L (versículo de entrada) “Hoje saberás, e refletirás no teu coração, que só o Senhor é Deus em cima no céu, e embaixo na terra; nenhum outro há” (Dt 4.39). Este é o nosso Deus. E ele é fiel no cumprimento de suas promessas. Eis a boa nova do Evangelho!

Desejamos as boas-vindas a vocês...

Hino
C (HPD 332) Deus está aqui.
De pé (Quem preside a liturgia convida a comunidade para essa ação com um gesto. Nele também deveria estar implícita a informação de que “levantam aquelas pessoas que puderem”, sem que seja necessário destacar isso explícita e recorrentemente. A comunidade precisa ser instruída para conhecer esse gesto que indica “de pé” e “sentar”. Proferir essa instrução seguidamente transforma-se em ruído que atrapalha.)
.
Saudação Apostólica
(Ou Voto inicial)
L falará da estante de leitura
L Em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.
C Amém.
L O nosso socorro vem do Senhor
C que fez o céu e a terra.
Ao Voto inicial pode-seguir a recitação do Salmo do dia, que culmina com o Gloria Patri (cantado ou falado).

L A graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos vocês.
C E com você também.

Confissão de Pecados
L (costura) Confessemos os nossos pecados. (Breve pausa)
Trino Deus, tu és Deus fiel. Cumpriste tuas promessas, desde Abraão e Sara até nossos dias. Nós, porém, duvidamos dessa fidelidade. Nossa fé é fraca. Perdoa-nos, Senhor, todos os nossos pecados.
C (canta) Perdão, Senhor, perdão!

Anúncio da graça
L “Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmo nos enganamos, e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, Deus é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça” (1 Jo 1.8-9).

Em virtude do Anúncio da graça segue um hino de louvor (Se entoado, que seja logo após o Amém, sem outros comentários (“ruídos”).

C (HPD 213)
Senhor, tu tens sido.
Ou
Absolvição
Em lugar do Anúncio da graça pode vir a Absolvição, como segue.

L Em vista da vossa confissão e confiando na promessa do perdão de Deus, vos declaro, como ministro/a ordenado/ a da Igreja, o perdão dos vossos pecados: em nome do Pai (+), e do Filho, e do Espírito Santo.
C Amém
(Convém lembrar às comunidades que o Amém equivale à assinatura de um documento. No caso, expressa a concordância da comunidade com o conteúdo da oração. Por isto, ela sempre deveria pronunciá-lo.)
.
C (HPD 263) Bendirei ao Senhor em todo tempo.
(Sentar)

Kyrie
L (costura) São muitas as pessoas que, perto e longe de nós, sofrem. Há muita dor, tristeza, exclusão. Por ser fiel, Deus escuta o seu povo. Porque cremos que Deus escuta esse clamor, unamos nossas vozes a todos esses irmãos e irmãs, e roguemos pela compaixão do Senhor.
C Kyrie eleison
(Entoar uma das melodias deste refrão. Ex.: Coleção Miriã I (CM), n. 8-15.)

L Pela paz que vem do alto e a salvação dos oprimidos, clamemos ao Senhor.
C Kyrie eleison.
L Pelas multidões desamparadas, com fome, sem lar, sem trabalho, clamemos ao Senhor.
C Kyrie eleison.

L Pelas pessoas que sofrem por se sentirem odiadas, rebaixadas, excluídas, desvalorizadas, clamemos ao Senhor.
C Kyrie eleison.
L Por graça socorre-nos, Senhor!
C Amém.

Gloria in excelsis
L (costura) Deus é fiel. Ele escuta o clamor do seu povo e vem na sua Palavra e na sua Ceia. Por esta boa notícia nós o louvamos.
C (HPD 86) Somente a Deus no céu louvor

Oração do dia.
L Oremos.
Deus de amor, que conduziste teu povo e, em Jesus, cumpriste tua maior promessa, nós te pedimos, sê fiel e misericordioso conosco, fortalece nossa fé para que confiemos em tua presença no meio de nós. Por Cristo Jesus, que contigo e com o Espírito Santo reina de eternidade a eternidade.
C Amém.

LITURGIA DA PALAVRA
Leituras Bíblicas
As leituras bíblicas são feitas a partir da estante de leitura.
L (costura)
A palavra de Deus é orientação no caminho da vida. Por isso a ouvimos com devoção.

Cântico intermediário
C (canta) Senhor, que tua Palavra transforme a nossa vida.
Primeira leitura
L
A primeira leitura bíblica, conforme o livro de Deuteronômio 4.32-34 e 39-40 (segue a leitura).

Recitação do Salmo
L
Louvemos a Deus com o Salmo deste domingo.
L Exaltar-te-ei, ó Deus meu, e Rei;
C bendirei o teu nome para todo o sempre.

Todos os dias te bendirei,
e louvarei o teu nome para todo o sempre.

Grande é o Senhor e mui digno de ser louvado;
a sua grandeza é insondável.

Uma geração louvará a outra geração as tuas obras,
e anunciará os teus poderosos feitos.

Meditarei no glorioso esplendor da tua majestade,
e nas tuas maravilhas.

Falar-se-á do poder dos teus feitos tremendos,
e contarei a tua grandeza.

Divulgarão a memória da tua muita bondade,
e com júbilo celebrarão a tua justiça.

Benigno e misericordioso é o Senhor,
tardio em irar-se e de grande clemência.

O Senhor é bom para todos,
e as suas ternas misericórdias permeiam todas as suas
obras.

Todas as tuas obras te renderão graças, Senhor; e os teus santos te bendirão (Sl 145.1-10 - Recitação sugerida por Ilson Kayser, Falai entre vós com Salmos, São Leopoldo: Sinodal, 2001).
C (canta ou fala o Gloria Patri) Glória seja ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo, como no princípio, agora e sempre, e por todos os séculos. Amém.

Segunda leitura
L
A epístola para este domingo, conforme 1 Coríntios 13.11-13 (segue a leitura).
Leitura do Evangelho
L
Aclamemos o Evangelho cantando
(É preciso acalentar o sonho de que chegará o dia em que essa frase será dispensável. Ou seja, um dia a comunidade saberá, por causa do conhecimento que terá do rito, que “agora, após a leitura da Epístola, a comunidade ouvirá a leitura do Evangelho. Por isso ela levanta”, sem que haja a necessidade de falar “Aclamemos o Evangelho, cantando”. Enquanto aguardamos a chegada desse dia, necessitamos fazer este convite expresso.)

(De pé)
C
Aleluia
(Entoar o Aleluia conforme melodia conhecida pela comunidade. Ex.: CM, n. 18-22.)

L (versículo de aclamação (Proclamar Libertação: auxílios homiléticos, São Leopoldo: Sinodal, 1989, v. XV, p. 318-333, oferece os versículos de aclamação para cada domingo.) “Mas, de fato, Cristo ressuscitou dentre os mortos, sendo ele as primícias dos que dormem” (1Co 15.20).
C Aleluia.
L (Anúncio do Evangelho) O Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo segundo Mateus 28.16-20.
Leitura.
L
(ao final) Palavra do Senhor.
C (canta) Louvado sejas, Cristo.
(Sentar)

Pregação
(O texto da prédica, conforme a leitura de Deuteronômio, aborda os aspectos da fidelidade de Deus no cumprimento de suas promessas. Mostra a preocupação de um líder que quer conduzir o povo em obediência ao Deus que é único e verdadeiro. É o Deus libertador, que tirou o povo da opressão de Faraó, o Deus que acompanhou seu povo pelo deserto, até a entrada na terra prometida. Moisés cumpriu sua missão. Conduziu Israel do Egito às fronteiras da terra prometida. Agora que o tempo de sua morte chegou, ele resume, perante a nova geração, numa série de discursos, a história passada de Israel. Exorta a recordar o amor de Deus durante as jornadas no deserto. Ao mesmo tempo, convida a continuar confiando em seu cuidado quando da entrada em Canaã. Admoesta a observar a lei a fim de prosperarem. Lembra-lhes suas apostasias e rebeliões passadas. Adverte para as conseqüências da desobediência a Deus.)
(baseada no texto de Deuteronômio).

Hino
C (HPD 456) Deus é meu amparo.
(De pé)

Confissão de Fé
L (costura) Na comunhão com as pessoas que crêem no trino Deus, confessemos nossa fé.
C Creio...
(Sentar)

Ofertas
(Considerar sugestão abaixo, na motivação para o Ofertório e o Preparo da mesa.)
Para motivar a comunidade a ofertar.
L (costura)
O que Deus fez e faz por nós anima para atos de solidariedade. Podemos expressar a solidariedade através das ofertas em dinheiro. Com elas ofertamos parte do fruto do nosso trabalho para o serviço na seara do Senhor. As ofertas deste culto destinam-se para (indicar a destinação). Enquanto as ofertas são recolhidas, cantamos:
C (canta (Sugestões: CM, n. 24, 26.)

Avisos
Neste momento do culto comunica-se somente aquilo que é motivo para ser incluído na Oração geral da Igreja.

Oração geral da Igreja
(com agradecimentos e intercessões)
Normalmente a comunidade se levanta para este momento. Mas também convém avaliar a possibilidade de ela ficar sentada. Pode favorecer maior compenetração para orar.

L Oremos.
Deus da fidelidade: tu cumpres tuas promessas. Por isto, agradecemos:
C (canta) Graças, Senhor! Graças, Senhor! Por tua bondade, teu poder, teu amor: Graças Senhor!

L Porque és Deus fiel, podemos confiar em tua Palavra, como fizeram Abraão, Sara, Moisés e os profetas. Por isto, agradecemos:
C (canta) Graças, Senhor!...
Outros motivos de gratidão podem ser apresentados.
Depois, seguem as intercessões.

L Pela Igreja, seus líderes e suas comunidades, para que sejam fiéis na tarefa de anunciar o Evangelho, oremos ao Senhor:
C (canta) Ouve nossa oração e atende nossa súplica.

L Pelas autoridades civis, para que entendam seu cargo como serviço e governem para transformar as situações de escravidão, oremos ao Senhor:
C (canta) Ouve nossa oração e atende nossa súplica.
Outras intercessões da comunidade local podem ser apresentadas.

L (conclusão) Nosso Deus, tu que conheces os nossos pensamentos e sentimentos, ouve também as súplicas que ficam no silêncio do nosso coração, por Jesus Cristo, nosso Salvador.
C Amém.
Caso tenha levantado, a comunidade senta.

LITURGIA DA CEIA DO SENHOR
Preparo da mesa e Ofertório
A partir deste momento L posiciona-se atrás da mesa da comunhão
(altar).

Para a condução da liturgia daqui em diante, é preciso decidir – a partir do perfil da própria comunidade – sobre os momentos de sentar e ficar em pé. Evitem-se os longos períodos em pé. Sugere-se, por isto, que a comunidade seja convidada a levantar-se para a Oração eucarística, ou somente a partir do Pai-Nosso.

L (costura) Deus sempre é fiel. Por isto é que confiamos na sua presença em nossa vida. Ele está entre nós, nos congrega, nos reconcilia, nos conforta. Experimentamos essa presença de Deus na Ceia do Senhor. Por isto, preparemos a mesa da comunhão.

Enquanto o pão, o vinho (suco) e as ofertas (preferencialmente recolhidas neste momento) são trazidos, cantemos:
C (canta)
Tudo vem de ti, Senhor.

Depois que as ofertas e os elementos para a Ceia do Senhor estiverem sobre a mesa:

Oração do ofertório
L Oremos. Nós te louvamos, Deus da fidelidade, por tua generosidade: pela terra, pelo sol e pela chuva, pelo trabalho e pelos dons para te servir. Em gratidão a ti colocamos em tuas mãos parte do que nos deste. Que estas ofertas sirvam para o bem-estar das pessoas que as receberem.

C Louvado sejas para sempre. Louvado sejas, Deus fiel, pelo pão e pelo vinho (suco), frutos da ampla e generosa natureza que alimenta teus filhos e tuas filhas. Dá que este pão e este fruto da videira sejam recebidos por nós, nesta Ceia, como comida e bebida da salvação em Cristo Jesus.
C Amém.

Oração Eucarística
L (Diálogo) O Senhor esteja com vocês.
C E também com você.
L Vamos elevar os nossos corações a Deus.
C Ao Senhor os elevamos.
L Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
C Isso é digno e justo.

L (Prefácio) É justo e do nosso dever que, em todos os tempos e lugares, te rendamos graças, ó Deus, pois és Deus fiel para conosco. Jamais deixaste de cumprir uma única promessa. Deste-nos a salvação através de teu Filho Jesus Cristo. Por tudo isso, nós te agradecemos, te louvamos e te adoramos:
C (Sanctus - HPD 125,1) Santo, santo, santo!

L (Anamnese) Graças te damos, Deus fiel, porque, alegres, podemos nos reunir ao redor desta mesa para receber o benefício do que Cristo fez por nós. Conforme tua promessa, ele nasceu, viveu e anunciou um novo tempo. Sua fidelidade lhe custou a vida, mas ele ressuscitou, está do teu lado e julgará vivos e mortos.
C Ele veio nos salvar.

L (Narrativa da instituição) Ele veio nos salvar por meio de seu sacrifício, pois, na noite em que foi traído, Jesus tomou o pão e, tendo dado graças, o partiu e disse: Isto é o meu corpo, que é dado por vós; fazei isto em memória de mim (breve pausa). Por semelhante modo, depois de haver ceado, tomou também o cálice, dizendo: Este cálice é a nova aliança no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que o beberdes, em memória de mim.
C (canta Pode ser falado) Jesus, tua morte anunciamos nós. Louvamos tua ressurreição. Até que venhas com teu poder.

L (Epiclese) Deus fiel, derrama sobre nós o Espírito Santo, o Espírito que dá vida, cria comunhão e nos torna um só corpo. Dá que, partilhando este pão e bebendo do cálice da comunhão, possamos viver a partir de tua promessa em nossa vida diária e dar testemunho de tua fidelidade.

C (canta) Envia teu Espírito, Senhor, e renova a face da terra.

L (Mementos) Lembra-te, ó Deus, de todas as pessoas que já partiram desta vida, teus filhos e tuas filhas, nossos irmãos e irmãs na fé, entre as quais estão familiares e pessoas amigas nossas. Reúne-nos com elas na mesa do banquete do Reino prometido, e por Cristo inaugurado.
C (canta Doxologia) Por Cristo, com Cristo e em Cristo.

Pai Nosso
Recomenda-se estimular a comunidade para orar de mãos dadas.
L
Pai nosso...

Gesto da Paz
L (costura) Ao cumprir suas promessas, Deus nos revela seu poder e seu amor. Ele é a nossa paz. E é por isso que podemos nos aceitar mutuamente, ainda que sejamos diferentes. Em Cristo somos um. Saudemo-nos com um abraço ou um aperto de mão, dizendo: “A paz de Cristo
seja contigo”.
Durante o Gesto da paz pode-se tocar uma música pertinente (Sugestão: CM, n. 32)
.
Fração
Sem outros comentários, depois do Gesto da paz, L levanta (Essa ação de levantar (o cálice e, depois, o pão) visa apresentar os elementos da Ceia do Senhor para que toda a comunidade os enxergue. Sobre cada um também pode ser feito o sinal da cruz.) o cálice consagrado e diz:
L
O cálice, pelo qual damos graças, é a comunhão do sangue de Cristo.
Levanta a pátena (prato) com o pão, que pode ser fracionado neste instante, e diz:

L O pão, pelo qual damos graças, é a comunhão do corpo de Cristo.

Cordeiro de Deus
(HPD 49; HPD 370, 371; Tear – Liturgia em Revista, São Leopoldo, v.8, p. 7, agosto 2002.)
C (canta Também pode ser falado)
Nós, embora muitos, somos um só corpo.
Apontando para os elementos pão e cálice, de preferência mostrando os de forma bem visível à comunidade:

L Este é o Cordeiro de Deus.
C (HPD 371) Cordeiro de Deus.

Comunhão
L Venham comungar, pois tudo está preparado. O Deus fiel convida
(Como Igreja aberta para a ecumene, convém afirmar de forma expressa e afável que todas as pessoas que crêem no mistério da presença real de Cristo na Ceia do Senhor são convidadas para essa comunhão.)

Durante a comunhão pode-se cantar ou executar música apropriada.

Oração pós-comunhão
L Graças te damos, ó Deus, porque vieste a nós nesta Ceia, que nos fortalece. Dá que esta comunhão nos ajude a crescer na fé e no amor. Concede que saiamos daqui animados e animadas, para viver conforme tua Palavra em nossa vida pessoal, familiar e comunitária, confiantes em tua promessa de que sempre estás conosco. Por Cristo, teu Filho amado, nosso Senhor.
C Amém.

LITURGIA DE SAÍDA
Avisos gerais

Hino

C (HPD 438) Quando se abate a esperança.

Bênção
A partir deste momento L posiciona-se novamente atrás da estante de leitura.

Para receber a bênção, a comunidade levanta. Pode-se sugerir que as pessoas fiquem de mãos abertas, voltadas para cima (atitude de quem recebe algo).

L O Senhor te abençoe e te guarde; o Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti, e tenha misericórdia de ti; o Senhor sobre ti levante o seu rosto e te dê a paz.
C Amém.

Envio
Pode-se recomendar que as pessoas se dêem as mãos para este envio. Afinal, o culto cotidiano acontece na certeza de que não se está só, mas que se é parte de um corpo, cuja cabeça é Cristo.

L Deus nos acompanha. Nisto podemos confiar. Vão em paz e sirvam ao Senhor com alegria.
C Demos graças a Deus.

Poslúdio

Oração silenciosa de saída

Sino

Fonte: Livro de Culto da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil
- Portal Luteranos 


AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

Assim como o Senhor perdoou vocês, perdoem uns aos outros.
Colossenses 3.13
REDE DE RECURSOS
+
O amor ao próximo não olha para o que é próprio. Também não olha se a obra é grande ou pequena, mas considera apenas a sua utilidade e a necessidade para o próximo ou para a Comunidade.
Martim Lutero
© Copyright 2017 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br