Mateus 23.1-12 - 22º Domingo após Pentecostes - 05/11/2017

Caderno de Cultos 2017

05/11/2017

LITURGIA DE ABERTURA

ACOLHIDA
Irmão, orem por nós, para que a palavra do Senhor se propague e seja glorificada, como também está acontecendo entre vocês (2 tessalonicenses 3.1). Com estas palavras somos acolhidos neste culto. Queremos também desejar as boas vindas às pessoas que nos visitam neste culto.

Acolher os/as visitantes

CANTO DE ENTRADA
Nº 337 – HPD 2 – Reunidos Aqui

Ou: Nº 336 – HPD 2 – Quando o povo se reúne

SAUDAÇÃO
Estamos reunidos aqui em nome do Trino Deus, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

CANTOS DE INVOCAÇÃO
Nº 123 – HPD 1 – O nosso encontro
Ou: Nº ____________________________________________________

CONFISSÃO DE PECADOS
Senhor nosso Deus. Reconhecemos que inúmeras vezes falhamos em ações e pensamentos. Nos esquecemos de ter comunhão contigo. Somos filhos e filhas desobedientes. Tu nos chamas a sermos luz para o mundo e ao invés disso, acabamos não olhando as pessoas ao nosso redor que precisam da nossa ajuda. Somos egoístas. Clamamos por justiça no mundo em que vivemos, pedimos pela tua justiça, mas, em vários momentos nós temos práticas injustas em relação ao nosso próximo. Perdoa-nos quando não zelamos pela maravilhosa criação que Tu deixaste a nós para que a cuidássemos. Perdoa-nos quando somos arrogantes. Ouve ó Deus a nossa confissão e te pedimos, perdoa-nos e nos ajude a não cometermos os mesmos erros. É em nome do Teu Filho Jesus Cristo que nós oramos. Amém.

ANÚNCIO DO PERDÃO
A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza (2 Coríntios 12.9). Em meio a nossa fragilidade percebemos o quão dependentes somos de Deus e diante do sincero arrependimento dos pecados, experimentamos o perdão de Deus. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, Amém.

KYRIE
Enquanto pessoas cristãs, somos chamados a olhar para o mundo em que vivemos. Há sofrimento por todos os lados. Tantas pessoas sofrem injustiças e opressões. Por todas as pessoas que sofrem neste mundo, seja qual for o seu sofrimento, intercedemos cantando Pelas dores deste mundo, ó Senhor.

GLÓRIA IN EXCELSIS
Ó Senhor Deus, eu sempre cantarei a respeito do teu amor e anunciarei a tua fidelidade a todas as gerações (Salmos 89.1). Por tudo aquilo que Deus fez, tem feito e fará por nós, louvemos a Ele cantando Damos graças ao Senhor.
HINO
Nº 239 – HPD 1 – Damos graças ao Senhor

ORAÇÃO DO DIA
Deus de amor. Agradecemos-te pela oportunidade de podermos nos reunir mais um domingo para prestarmos culto a Ti. Obrigado por nos trazer em segurança até aqui. Te agradecemos por nos oferecer o perdão dos pecados, vida nova e salvação. Pedimos-te que o Senhor venha a nos falar através do teu Espírito Santo neste culto e no momento da pregação da Tua palavra. Por teu Filho Jesus Cristo que contigo e o Espírito Santo vive e reina eternamente, Amém.

LITURGIA DA PALAVRA

LEITURAS BÍBLICAS
1ª Leitura Bíblica: Miqueias 3.5-12

2ª Leitura Bíblica: 1 Tessalonicenses 2.9-13

CÂNTICO INTERMEDIÁRIO
Nº 381 – HPD 2 – Pela palavra de Deus

PREGAÇÃO
Boa noite. (Bom dia) Gostaria de trazer a vocês nesta manhã aspectos de dois tipos de pessoas. Essas pessoas são muito presentes (talvez um tipo mais, outro menos) em nosso meio de convivência, seja no trabalho, família, amigos, etc. Esses dois tipos de pessoas são: a pessoa humilde e a arrogante.
Em primeiro lugar, gostaria de lhes apresentar a pessoa arrogante, que sempre é melhor que os outros. Ela diz: eu conheço mais a Bíblia que vocês, eu sou cristão e você não, você não está cumprindo as leis de Deus, etc. Esse tipo de pessoa procura sempre se sobressair em tudo nem que para isso, seja necessário rebaixar o próximo, apontar os seus defeitos, pisar nele. Essa pessoa é como um balão que vai sendo enchido e aos poucos vai ficando grande, mas, se não parar de encher, explode e se torna apenas um pedaço de borracha para ser jogado no lixo.
O segundo tipo é um ideal de pessoa a ser alcançada por todos nós, a pessoa humilde. Trago como exemplo o espelho para mostrar como a pessoa humilde deve se portar. O humilde sempre antes de abrir a boca para falar contra alguém, ele olha para o seu próprio umbigo, para a sua vida, vendo onde ele está errado e não procurando defeitos nos outros. Além de ele próprio olhar para dentro de sua vida, ele também serve de espelho para as outras pessoas, que vão querer imitá-lo, mas nem por isso se vangloria, pois, sabe que se ele é assim, é porque Deus está agindo na sua vida e não porque ele é bom. Uma das definições que o dicionário nos trás sobre o termo humilde é submisso. Ou seja, humilde é aquele que serve, que coloca os outros acima dele mesmo.
Dois tipos de pessoas completamente diferentes. Com qual deles você se identifica? Com a pessoa humilde que se coloca no seu lugar e sabe que bom só tem um, e que este está nos céus, ou você é um fariseu que vive uma vida medíocre julgando outros e buscando status.
Muitas vezes, penso que nós cristãos somos como os fariseus. Sempre procuramos lugar de destaque e honra e fazemos tudo esperando o reconhecimento dos outros, e se ele não vier, ficamos chateados e queremos abandonar tudo. Outras vezes falamos mal do próximo e o julgamos por estar em pecado, desviando assim os holofotes de iluminarem a minha vida, sondando assim, tudo o que penso, minhas atitudes e desejos do meu coração.
E Jesus, como será que vê esta situação de buscarmos sempre estar por cima de tudo e todos e de viver uma vida contrária a que pregamos como correta. Será que Jesus gosta desse jeito de vivermos as nossas vidas? Será que foi para isto que Ele nos criou e nos chamou? Vamos ver o que ele nos diz no Evangelho de Mateus, capítulo vinte e três, versículos de um a doze.
Se nós parássemos para analisar o contexto no qual Jesus diz tais palavras duras contra os fariseus, poderíamos observar que não apenas nesse texto, mas também nos textos anteriores e posteriores Jesus age dessa forma para com os fariseus. Jesus os critica, pois, os mesmos conhecem a lei, mas não a praticam. Os fariseus se utilizam das leis apenas para benefícios próprios e se utilizam de palavras severas para aqueles que não querem cumprir as leis.
Na teoria os fariseus são muito bons. Carregam os “filactérios” que eram folhas de pergaminho minúsculas com trechos da Torá ou lei de Moisés, que eram colocadas dentro de cápsulas de couro. Uma das cápsulas era fixada com uma tira de couro na testa. Já a outra capsula, era fixada no antebraço esquerdo, na altura do coração e voltada para ele. Os judeus religiosos usavam estes filactérios todos os dias e não só no sábado e dias festivos.
Com esses filactérios eles lembravam que eram portadores incessantemente da lei e ao mesmo tempo deveriam obedecer a essas leis que carregavam. Os fariseus então confeccionavam filactérios grandes para que os mesmos pudessem chamar a atenção de todos.
Se observarmos o Antigo Testamento, amar a Deus significava ser obediente a sua Lei. Aquele que obedece a Lei ama a Deus. Em Marcos 12.30 diz que devemos amar a Deus de todo o coração, de toda a alma, de todo o entendimento e de todas as forças. Não adiantava de nada os fariseus carregarem pedaços da Lei de Deus na cabeça e perto do coração, porque o que lhes interessava era mostrar apenas o exterior. A Lei que eles mostravam não havia gerado transformação nas suas vidas.
Jesus por conhecer os fariseus diz ao povo: faça o que eles dizem, mas não façam o que eles fazem. Que palavra pesada foi esta de Jesus. É como se o próprio Senhor Jesus chegasse para vocês hoje e dissesse: “O/a (aqui utilize seu nome) conhece as Escrituras, pena que isto não gera mudança na sua vida. Tudo o que ele disser, obedeçam. Mas nunca ajam da mesma forma que ele, porque senão, vocês estarão perdidos”. Muitas pessoas abandonam a fé, porque tem, por exemplo, pessoas que lhes ensinaram a verdade, mas que elas próprias não conseguiram praticar. Esta é uma realidade muito triste, mas presente em nosso país, e muitas vezes, próxima de nós. Por isto, devemos nos espelhar em Deus e depositar nossa confiança nEle, porque homens, são falhos e estão sujeitos ao erro. Porém, Deus, nunca falhará.
Jesus também fala contra a arrogância deles, de procurarem sempre os melhores lugares nas sinagogas e nos banquetes. Os banquetes eram distribuídos de acordo com a importância, ou seja, os fariseus sempre queriam lugar de destaque. Gostavam de serem bajulados e chamados de mestres. Claro que considero o elogio uma forma carinhosa de reconhecer o serviço que a pessoa fez em prol de outras. Agora quando eu dependo de elogios para fazer com que o trabalho aconteça, penso que estamos falhando e feio com relação ao que a Bíblia nos diz em Colossenses 3.23: Tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como para o Senhor e não para homens. O elogio é importante, mas, devemos cuidar para que com o elogio, não nos tornemos arrogantes ao ponto de achar que somos bons.
Quando achamos ser bons demais, acontece o que aconteceu no texto, os fariseus queriam tomar o lugar de Deus, pois, gostavam de serem chamados “mestres” (raabi). Se olharmos o Novo Testamento, vamos observar que o termo raabi aparece treze vezes, sendo que uma referida a João Batista e as outras ao Senhor Jesus Cristo. Ou seja, somente Jesus, o próprio Deus tem autoridade para ser chamado mestre.
Jesus termina dizendo que o maior dentre vós será aquele que serve. Com relação a esta fala ele pode afirmar ser o maior, pois, Ele próprio lavou os pés dos discípulos. Naquela época não era como hoje, todo mundo de tênis e sapatos. Era deserto, pó, areia, dias e dias com os pés suados e cheirando mal. E mesmo sendo Deus, Jesus se rebaixa a esta função, ele se humilha. Vocês lembram onde Jesus nasceu? Ele poderia ter nascido em berços de ouro, mas, assim ele não o quis. Preferiu nascer em uma estrebaria dentro de um coxo de animais. E não acaba por aí. Jesus foi humilhado perante a cruz, ao ponto de se tornar pecado por amor a nós. Ele não precisaria enfrentar toda esta situação, pois, sendo Deus, poderia acabar com todos que o humilharam. Mas, ele age com humildade em todas as situações e por isso Ele tem autoridade para falar que o maior entre todos é aquele que serve.
A Bíblia também nos diz que devemos considerar os outros superiores a nós mesmos. Como é difícil isto acontecer, pois, nós, na busca pelo primeiro lugar fazemos de tudo para não ter ninguém do nosso lado. Apontamos o cisco no olho do irmão e não vemos a trave no nosso. Nós muitas vezes utilizamos as outras pessoas como escada, para subir até onde conseguirmos.
Nossa função como cristãos neste mundo, é sermos servos. É nossa função espalhar o evangelho a todo mundo pregando a toda criatura. É nosso dever sermos luz em meio ao mundo tomado por trevas. Mas para que isto aconteça, precisamos nos humilhar perante Deus, reconhecendo que somente com a ajuda dEle somos capazes de realizar algo e se necessário, nos humilhar perante o nosso próximo para que a glória de Deus venha a ser manifestada em nós.
É preciso sair da nossa zona de conforto, abandonar as nossas “frescuras” e agir.
E Jesus deixa claro, que o que quiser ser exaltado, este será humilhado. Porém, aquele que se humilhar, este será exaltado. Que grande verdade. Hoje podemos pensar que os outros que passam por cima de nós, que pisam em nós, estão se dando bem. Porém um dia quando Jesus voltar para buscar os seus, penso que daí sim, vamos nos esquecer de todo o sofrimento e humilhação que passamos, pois, vamos ser exaltados pelo próprio Senhor Jesus Cristo. Que maravilha nós podermos ter esta certeza
E então, qual destas pessoas vamos buscar ser: o fariseu arrogante ou o humilde? Mas não se esqueça de uma coisa, uma pessoa nos leva a humilhação e a outra a vida eterna. A Bíblia nos é clara com relação a isto: “bem aventurados os humildes de espírito, porque deles é o Reino dos céus” (Mateus 5.3).
Não devemos nos esquecer que somente com a ajuda de Deus e nos espelhando no exemplo de Jesus Cristo é que podemos ser pessoas humildes. Por isto, peça ajuda a Deus para que Ele te ajude em sua busca pela humildade. Que Deus nos abençoe, Amém.

HINO
Nº 413 – HPD 2 – Senhor, se tu me chamas

CONFISSÃO DE FÉ
Em resposta ao Evangelho lido e pregado, queremos confessar juntos a nossa fé com as Palavras do Credo Apostólico:
Creio em Deus Pai, ...

CANTO PÓS CONFISSÃO (proceder motivação e o recolhimento das ofertas)
Nº 419 – HPD 2 – Na mesa do Senhor

ORAÇÃO DE INTERCESSÃO
Motivos de Oração:
1. Aniversariantes
2._______________________________________________________
3._______________________________________________________
4._______________________________________________________
5._______________________________________________________
6._______________________________________________________

PAI NOSSO
Pai nosso ...

LITURGIA DE DESPEDIDA

AVISOS
Próximo Culto: ___/___/______ às ___:___ h.
Oferta último Culto: R$ _________ - destinada para ...
______________ _________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________

BÊNÇÃO
Que o Senhor te abençoe e te guarde, que o Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti e tenha misericórdia de ti, que o senhor levante o seu rosto sobre ti, e te dê a paz. Amém.
ENVIO
Ide na paz do Senhor e servi ao Senhor com alegria! Uma semana abençoada a todos nós!
 


Autor(a): P. Gustavo Griggio
Âmbito: IECLB / Sinodo: Mato Grosso
Área: Celebração / Nível: Celebração - Ano Eclesiástico / Subnível: Celebração - Ano Eclesiástico - Ciclo do Tempo Comum
Natureza do Domingo: Pentecostes
Perfil do Domingo: 22º Domingo após Pentecostes
Testamento: Novo / Livro: Mateus / Capitulo: 23 / Versículo Inicial: 1 / Versículo Final: 12
Título da publicação: Caderno de Cultos / Ano: 2017
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 42944
REDE DE RECURSOS
+
Ó Senhor Deus, não há ninguém igual a ti. Tu és grande e o teu nome é poderoso.
Jeremias 10.6
© Copyright 2017 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br