Gestão da missão

Aconselho que cuidem bem do rebanho que Deus lhes deu e façam isso de boa vontade, como Deus quer, e não de má vontade. Não façam o seu trabalho para ganhar dinheiro, mas com o verdadeiro desejo de servir. Não procurem dominar os que foram entregues aos cuidados de vocês, mas sejam um exemplo para o rebanho. I Pe 2-3

A gestão é parte integrante da governança e engloba a transparência, a integridade, a eficiência e a participação, a partir de valores reconhecidos por um grupo, uma organização, uma empresa.

A governança inclui o planejamento, o exercício da representação, o sistema normativo, a gestão dos recursos, os compromissos mútuos, os consensos fundamentais, a habilidade de lidar a partir da unidade com desafios internos e externos.

Governança eclesiástica é a capacidade dos membros da igreja, à luz da palavra de Deus, organizarem-se para a vivência da comunhão, na celebração da fé e na ação missionária. Compreende os espaços criados pelos membros para sua articulação no corpo igreja.

A gestão eclesiástica distingue-se das demais formas de gestão em um aspecto fundamental: o dono da empresa é Deus e os gestores e gestoras eclesiásticos são seus colaboradores. A boa gestão eclesiástica passa, portanto, pela sintonia com os propósitos de Deus para a sua Igreja. Baseia-se no diálogo constante com o proprietário do empreendimento, na escuta apurada de suas orientações.

Gestão eclesiástica é essencialmente sustentável, pois significa basicamente cuidar bem da criação de Deus, dando suporte responsável à proclamação do Evangelho, promovendo e planejando a infra-estrutura necessária, para que mais pessoas se engajem nesse cuidado e celebrem.

Gestão eclesiástica é processo de aprendizagem permanente. Para ter qualidade requer de seus responsáveis serenidade para lidar com imprevistos, sabedoria para lidar com conflitos de interesse, habilidade para manter o foco, visão para construir e alterar caminhos, determinação para não enfraquecer diante de dificuldades, liderança para agregar forças e recursos, humildade para lidar com as responsabilidades.

Na Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - IECLB, a gestão é exercida de forma complementar e sincronizada entre os responsáveis pela gestão ministerial e pela gestão administrativa.

A abrangência da gestão tem três níveis: local, sinodal e nacional.
 

***Aqui tem mais:
 Guia para o Presbitério, Manual de Estudos, Série Educação Cristã Contínua, Editora Sinodal
 

 

 

GESTÃO
+
Sejam bons administradores dos diferentes dons que receberam de Deus. Que cada um use o seu próprio dom para o bem dos outros!
1Pedro 4.10
© Copyright 2017 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br